terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Miguel Torga - 17 anos depois


Há 17 anos que Miguel Torga partiu. Para relembrá-lo, publico este post com um dos meus poemas dilecto deste autor agora cada vez mais esquecido. Intitula-se Harmonia. E aconselho a leitura de A Criação do Mundo.

Feliz canto das aves,
Sem possível
Compreensão;
Feliz rumo dos astros,
Sem possível
Desvio;
Feliz fúria do vento
Sem possível
Arrependimento.


E feliz o poeta
Que ninguém lê.
Que sòzinho contempla
O nascimento e a morte
Dos seus versos.
Pai acabado que no próprio corpo
Gera os filhos
E lhes dá ternura
Do berço à sepultura.

Miguel Torga, in. Orfeu Rebelde.


Imagem: wikipédia.

4 comentários :

  1. Boa homenagem. Infelizmente cada vez mais posto na prateleira. Por ser independente?
    Já votei.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Pinguim, gosto muito de Miguel Torga; tenho bastantes livros daqueles de capa branca, velhinhos, comprados muitos deles em alfarrabistas, da edição de autor / coimbra editora... pena que os que me faltam já não sejam fáceis de encontrar... e a obra completa nas publicações d. quixote é simplesmente uma porcaria...

    ResponderEliminar
  3. JMGM, Nesta feirinha de vaidades cada vez mais só há lugar para coisas medíocres, para não dizer porcarias... Obrigado pelo voto. Abraço.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...