quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Desde a Montanha - Poema de Tomas Tranströmer



Estou na montanha e vejo a enseada.
Os barcos descansam sobre a superfície do verão.
«Somos sonâmbulos. Luas vagabundas.»
Isso dizem as velas brancas.

«Deslizamos por uma casa adormecida.
Abrimos as portas lentamente.
Assomamo-nos à liberdade.»
Isso dizem as velas brancas.

Um dia vi navegar os desejos do mundo.
Todos, no mesmo rumo – uma só frota.
«Agora estamos dispersos. Séquito de ninguém.»
Isso dizem as velas brancas.


Poema de Tomas Tranströmer - Prémio Nobel da Literatura 2011


Lido no Bibliotecário de Babel, onde podem ler outros três poemas.

Imagem daqui.

1 comentário :

  1. Penso que é um grande poeta! Não o conhecia, vi-o aqui, procurei noutros blogues e gostei muito da simplicidade e verdade e sensibilidade.
    É uma voz...
    Abraço amigo
    o falcão

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...