terça-feira, 28 de junho de 2011

Pedro I - de Manuel Poppe



João - Foi mais a felicidade, meu Rei! Amaram-no tanto!

Pedro entende a paixão do outro - Meu João! Talvez, talvez... (fita-o) Sabes? Às vezes, quando não somos normais...

João - Quando não somos normais?

Pedro - Sim. Vemos e sentimos muitas coisas que não devíamos nem ver, nem sentir. Passamos para o outro lado do espelho.

João - Do espelho?

Pedro - O espelho é a verdade dos normais. (aponta os fidalgos, os eclesiásticos, o físico, etc., que se iluminam, imóveis) Não os vês? Normais, equilibrados, prudentes. Não vês como se aquecem uns aos outros? Bispos, fidalgos, físicos, sábios... Os senhores do mundo!

João observa-os como se os visse pela primeira vez.

João - Estão gelados!

Pedro - Porque não lhes arde nada dentro.

João - Estão mortos!

Pedro, sarcástico - Os senhores do mundo!



De Manuel Poppe, já tinha aqui publicado um pequeno excerto de A Mulher Nua. Com uma linguagem simples - escorreita - o autor consegue transmitir as suas ideias e pensamentos, que de outro modo poderiam tornar-se demasiado complexos e difíceis de comunicar aos leitores. A sugestão do autor, fui ler esta pequena obra - pequena apenas no tamanho do livro - que tinha aqui na secção dos não-lidos. Embora difíceis de encontrar no mercado livreiro, ainda estão disponíveis alguns títulos de Manuel Poppe - não são insondáveis os desígnios do capitalismo: produzir lixo e vendê-lo como luxo, de maneira a obter o máximo lucro com os mínimos custos - custos mínimos para aqueles que obtém o lucro máximo, claro está!,... E assim se explica o facto de em segundos se esgotarem das lojas as tralhas culturais, e não haver nas mesmas lugar para a verdadeira cultura. Porque os senhores do mundo querem os rebanhos analfabetos. Se os povos tiverem mesmo que saber ler e escrever, então que não saibam o que lêem e escrevem. 
Publico aqui este pequeno excerto desta obra que, em poucas e simples palavras, consegue dizer tanto do mundo em que (sobre)vivemos. A seguir lerei Os Amantes Voluntários, também de Manuel Poppe. As obras do autor estão publicadas na editorial teorema (o nome da editora vem assim grafado), que agora pertence ao grupo leya. Sobre o capitalismo já disse o que pensava...

6 comentários :

  1. também tenho os amantes na lista dos não lidos, mas intrometem-se tantos pelo caminho que às vezes chega a ser complicado chegar até ele. contudo, a curiosidade nunca esmoreceu e agora com a leitura deste excerto de oura obra...

    um abraço

    ResponderEliminar
  2. Venho agradecer a visita e congratulo-me por encontrar Manuel Poppe, um amigo que ganhei há pouco tempo e me fez muito bem.
    Não conhecia este título, irei procurá-lo.
    Obrigada, bom dia!
    ana

    ResponderEliminar
  3. Tive a felicidade de ler duas obras do autor e são magníficas. Pena já não serem fáceis de se encontrar :(
    Fizemos uma entrevista ao autor no blogue http://destante.blogspot.com, é sem dúvida uma grande Homem!
    Não conhecia o seu blogue, parabéns pelo espaço.

    ResponderEliminar
  4. Olá benjamim machado. Os Amantes Voluntários é um grande título. Vou lê-lo de seguida. Também a mim se me acumulam os livros por ler - agora menos, que há menos dinheiro para comprar novos...

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Olá Ana, retribuo os agradecimentos, pela tua visita. Este título penso que ainda não está esgotado, na wook, e no site da leya, diz que está disponível.

    ResponderEliminar
  6. Olá Paula, já tinha tido a oportunidade de ler a entrevista, no entanto obrigado ;-) Sim, as obras do autor são bastante difíceis de encontrar. Eu tenho algumas, mas ainda assim, há quatro títulos que gostaria muito de ler, mas não consigo em lado nenhum.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...