terça-feira, 14 de junho de 2011

É urgente o amor - poema de Eugénio de Andrade


É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.


É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.


É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.


Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Poema de Eugénio de Andrade

2 comentários :

  1. Primeiro, porque é de Eugénio de Andrade; e depois porque é daqueles que se lêem e não esquecem mais...

    ResponderEliminar
  2. Está a sair uma nova edição das obras de Eugénio de Andrade, numa editora chamada Modo de Ler, tão linda! Vê aqui: http://cslivraria.blogspot.com/2011/05/eugenio-de-andrade-poesia-e-prosa.html Espectáculo! Eugénio não se esquece, não se pode esquecer. Afinal, as palavras dele...

    São como um cristal,
    as palavras.
    Algumas, um punhal,
    um incêndio.
    Outras,
    orvalho apenas.

    Secretas vêm, cheias de memória.
    Inseguras navegam:
    barcos ou beijos,
    as águas estremecem.

    Desamparadas, inocentes,
    leves.
    Tecidas são de luz
    e são a noite.
    E mesmo pálidas
    verdes paraísos lembram ainda.

    Quem as escuta? Quem
    as recolhe, assim,
    cruéis, desfeitas,
    nas suas conchas puras?

    Abraço

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...