sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Amor e Loucura

Conta-se que um dia se encontraram, num local recôndito da terra, todos os sentimentos e características do Homem. Quando o TÉDIO bocejou pela terceira vez, a LOUCURA, tão louca como habitualmente teve uma louca ideia, e propôs: - E que tal se jogássemos às escondidas? Intrigada, a INTRIGA de imediato ergueu a sobrancelha mas, incapaz de conter-se, a CURIOSIDADE, adiantou-se e perguntou: - Escondidas?! Que jogo é esse?!



- É um jogo, explicou a loucura, em que fecho os olhos, tapo o meu rosto e começo a contar. Conto até 1000000, enquanto vocês se escondem e, quando eu tiver acabado de contar, vou à vossa procura. O primeiro que eu encontrar fica no meu lugar na vez seguinte, a não ser que algum de vós consiga chegar ao lugar onde a contagem é feita e o consiga salvar. Uma vez acaba quando todos tiverem sido descobertos ou salvos...
Assim que a LOUCURA terminou a sua explicação, o ENTUSIASMO começou a dançar com a EUFORIA, a ALEGRIA deu tantos saltos que acabou por convencer a DÚVIDA, e até a APATIA acabou por aceder, embora não estivesse nada interessada. Porém, nem todos quiseram participar. A VERDADE preferiu não se esconder, pois, como explicou, ela acaba sempre por ser descoberta. O ORGULHO disse logo que não queria, pois era um jogo tolo (no fundo o que o incomodava era que a ideia do jogo não era sua). Também a COBARDIA não quis arriscar, ficando de fora.


- Um, dois, três... - Começou a LOUCURA a contar. A PREGUIÇA foi a primeira a esconder-se, atrás da primeira pedra que encontrou. A FÉ subiu ao céu e a INVEJA escondeu-se atrás da sombra do TRIUNFO, que com o seu esforço tinha chegado à copa da árvore mais alta. A GENEROSIDADE teve muita dificuldade para se esconder, pois sempre que encontrava algum lugar pensava de imediato em como seria maravilhoso para algum dos seus amigos, e cedia-o... Um lago cristalino? Ideal para a  BELEZA. Uma fenda no tronco de uma árvore? Perfeito para a TIMIDEZ se esconder. O voo de uma borboleta? Que lugar mais indicado que este para a VOLUPTUOSIDADE. Uma brisa do vento? Magnífico para a LIBERDADE! Por fim acabou por se esconder num raio do sol. Pelo contrário, o EGOÍSMO encontrou rapidamente um lugar muito bom... Confortável, arejado, espaçoso... mas apenas para ele!

A MENTIRA, por sua vez, escondeu-se nas profundezas dos oceanos, (mentira .. na verdade, ela escondeu-se no lugar onde se põe o arco-íris); a PAIXÃO e o DESEJO esconderam-se no centro de um vulcão, e o ESQUECIMENTO escondeu-se... Esqueci-me onde é que se escondeu... Mas isso também não é importante...

Quando a LOUCURA ia já nos 999999, o AMOR ainda não tinha encontrado nenhum lugar para se esconder, pois tudo fora ocupado... foi quando viu um roseiral e decidiu esconder-se entre as rosas.

- Um milhão! A LOUCURA começou a procurar...

A primeira a aparecer foi a PREGUIÇA, apenas a três passos... A FÉ ouviu-a à conversa com Deus, pelo que logo a encontrou... A PAIXÃO e o DESEJO também não foram difíceis de encontrar, pois encontrou-os ao sentir a estranha vibração que vinha de um vulcão ali perto. A INVEJA encontrou-a quando ela se descuidou e foi vista a espreitar. Claro que encontrou logo o TRIUNFO também, pois pôde deduzir onde é que ele estava. Ao EGOÍSMO não foi nada difícil de encontra-lo: ele mesmo saiu a correr do seu esconderijo passado algum tempo, pois dera-se conta que se tinha escondido num ninho de vespas... De tantas voltas dar, a LOUCURA começou a sentir sede. Aproximou-se do lago para beber, e depressa descobriu a BELEZA. A DÚVIDA foi ainda mais fácil de descobrir... Ao aproximar-se de um muro, encontrou-a lá sentada, ainda indecisa de que lado se havia de esconder... E assim foram, uns após outros, sendo descobertos todos os sentimentos e características... O TALENTO entre a erva fresca, a ANGÚSTIA numa caverna escura, a MENTIRA num pote de ouro (mentira, que ela estava no cume de uma montanha)... E até o ESQUECIMENTO foi encontrado... embora já se tivesse esquecido que estava a jogar às escondidas... Só o AMOR não aparecia em lugar nenhum! Então a LOUCURA, desesperada, começou a procurar mais afincadamente, pediu a todos os sentimentos e características que a ajudassem, chorou, implorou, procurou... atrás de cada árvore que via, em cada canto, mesmo no mais recôndito,  do mundo, no cume e no sopé das montanhas e, quando estava prestes a desistir, ela viu um denso roseiral, pegou numa forquilha e começou a mover os ramos, quando de repente ouviu um grito doloroso. Os espinhos de uma rosa tinha ferido o AMOR nos olhos... A LOUCURA, sem saber o que fazer para se desculpar, chorou, implorou, implorou, pediu perdão e prometeu ser seu guia. E desde então, desde que pela primeira vez se jogou às ESCONDIDAS na terra que...

...O AMOR é cego e a LOUCURA acompanha-o sempre...


*Diz-se por aí que o cartaz acima, e o seu similar em versão masculina, foi proibido nas escolas deste cantinho maníaco-depressivo, versão Dr. Jekyll & Mr. Hyde de ultra-conservador vs. ultra-liberal, chamado PORTUGAL, devido a questões IDEOLÓGICAS... mas desde quando (apetece dizer «meu Deus, desde quando?, meu Deus» porém somos graças a Deus, Ateus nesta casa), mas desde quando é que o AMOR tem IDEOLOGIA?!? Agora, se me disserem que os cartazes não são permitidos por uma questão de LOUCURA...

1 comentário :

  1. O texto é delicioso!
    A proibição do Governo é tão louca, como lamentável.
    Depois quando os "azares" acontecem, fazem-se inquéritos e pergunta-se porquê?
    E ainda perguntam porque há homofobia em Portugal?
    Eis uma das respostas.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...