terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Feliz Carnaval e Sejam Felizes! - ou, em linguagem mundana, Feliz Natal e um Próspero Ano Novo!

Goofy Pateta Disney
O Goofy é o meu personagem preferido da banda desenhada da Disney. Podia escolher uma árvore de Natal, para vos dar os votos de Boas Festas deste ano, como fiz noutras ocasiões (1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6). Mas encontrei esta ilustração do Pateta - nome adoptado nas traduções portuguesas, que é literalmente o que significa o seu nome em inglês - um nome injusto, penso eu, para aquela que é a mais bondosa das personagens da Disney - e considerei que era uma boa imagem para ilustrar os votos da época que vivemos.

Enfim, as personagens engraçadas, desajeitadas, engraçadas, da ficção que é esta vida, são sempre tratadas como patetas - talvez não seja desajustado o nome - é cruelmente assim na realidade. 

Não espero presentes - prendas não aceito - não sei, na verdade, se ainda espero alguma coisa. Já estou habituado a esta espécie de abandono - bem sei que não é a ocasião propícia a lamentos - e que as pessoas preferem ouvir palavras vácuas e sorrisos inócuos - a superficialidade e a hipocrisia soam sempre melhor: por isso, Bom Carnaval a todas as pessoas que por aqui vão passando, então! - Que, tomando por referência o tempo que decorreu já desde os primeiros anúncios natalícios, devemos estar a chegar ao Carnaval!

5 comentários :

  1. Não entendi bem a sua diferença entre prendas e presentes, para mim são sinónimos. E gosto de os/as dar. Mesmo muito. Dão-me um bocado de trabalho, saem-me do esforço de horas e horas e de equilíbrios periclitantes de carteira e cartões, mas até penso que gosto - em parte - de tais exercícios. Faço-as desejando aquecer o coração de quem recebe. E também, egoísta que sou, pensando que por elas me hão-de lembrar mais que a vez em que desfazem o embrulho.

    Gosto muito do Pateta e da Clarabela. E não me interessa o nome, até acho Pateta um nome meio terno. Não chamamos pateta senão às pessoas de quem gostamos. E não quando estamos zangados com elas. E também chamamos a nós mesmos. logo, não será assim tão depreciativo. Pateta é um nome doce, leva um açúcar de ternura dissolvida. Fim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Prenda e Presente são, de facto, sinónimos - mas não podem querer dizer exactamente o mesmo, senão não havia duas palavras. Eis a minha tentativa de explicação: Prenda é prender a pessoa e dizermos que estamos presos a ela; Presente é dizer que estamos presentes, que gostamos de ter a pessoa presente em nós (e de pensar que também estamos presentes no Outro)... fiz-me entender? :)

      Eliminar
  2. Entendi, sim. Usa um português de primeira água.
    Oh, os purismos linguísticos. Concordo que dois termos sinónimos sejam de sentido semelhante mas não igual. Tem razão. Quanto a prenda e presente, já acredito que, em linguagem quotidiana, não haja distância de relevo. As prendas são formas de dizer que se está presente e os presentes prendem. Desconheço essa intenção de dar prendas para prender. As minhas são, em geral, gosto puro; algumas por delicadeza, reconheço. Se prenderem, tanto melhor. A gente nasceu para se atar - com alguma arte - uns aos outros. E é Natal:)

    ResponderEliminar
  3. Bom Natal e magnífico 2016, André!
    (Pode parecer conversa da treta, mas não percas a esperança de dias melhores. A vida dá muitas voltas...)
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Carlos. Um excelente Natal e melhor 2016 para ti, igualmente. Um grande Abraço.

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...