quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Do Not Go Gentle Into That Good Night

Calvin and Hobbes, Noite, Night,

Recebi agora mesmo um e-mail de um órgão de comunicação social ligado à economia e finanças com o sugestivo título «Porque não deves confiar nas notícias financeiras», que prontamente apaguei. Não confio em mentirosos nem mesmo quando estão a dizer a verdade, porque toda a gente sabe que a melhor maneira de esconder a verdade é mostrando-a descaradamente; ou, dizendo de outra forma, com a verdade me enganas.

Tenho ido muitas vezes ao e-mail nas últimas semanas por causa de um e-mail que espero receber, mas que talvez nunca chegue; pode-se dizer, quanto à minha caixa de entrada, que tenho estado sempre em cima do acontecimento: paradoxalmente (ou não, ou não) são cada vez mais os e-mails que deixo sem resposta. Ando sem apetite para nada.

Desde o dia 10 de Outubro (de 2014) que não leio uma página de um livro. O último em que toquei foi o «Um Circo que Passa» de Patrick Modiano, que havia retirado das minhas estantes no dia anterior, quando foi anunciada a atribuição do Prémio Nobel da Literatura. Há mais de vinte anos que não passava tanto tempo sem ler um livro, ou algumas páginas de um livro, pelo menos.

Com esta letargia que tomou conta de mim, deixei a meio o citado acima (que já havia lido, mas tencionava reler), e O Mundo de Ontem - recordações de um europeu, de Stefan Zweig. Também ainda não li Montedor, de J. Rentes de Carvalho, e O Imperador das Mentiras, de Steve Sem-Sandberg. No caso de Montedor é mais grave ainda, pois é o primeiro livro de J. Rentes de Carvalho que compro e demoro mais de dois três dias a ler. Além de mais tenho para aqui um livro, que me impingiram para botar opinião, A História do Amor, de Nicole Krauss, que nem leio nem devolvo.

Entrei numa noite sem fim. E, ao contrário da de Calvin (e do seu inseparável amigo, Hobbes), não é uma noite quente e estrelada de Verão. É uma noite fria e enublada de Inverno. Do not go gentle into that good night, avisam-me os versos de Dylan Thomas, Rage, rage against the dying of the light. Escura como todas as noites. (Sobre)viver: até quando?


Do Not Go Gentle Into That Good Night

Do not go gentle into that good night,
Old age should burn and rave at close of day;
Rage, rage against the dying of the light.

Though wise men at their end know dark is right,
Because their words had forked no lightning they
Do not go gentle into that good night.

Good men, the last wave by, crying how bright
Their frail deeds might have danced in a green bay,
Rage, rage against the dying of the light.

Wild men who caught and sang the sun in flight,
And learn, too late, they grieve it on its way,
Do not go gentle into that good night.

Grave men, near death, who see with blinding sight
Blind eyes could blaze like meteors and be gay,
Rage, rage against the dying of the light.

And you, my father, there on the sad height,
Curse, bless, me now with your fierce tears, I pray.
Do not go gentle into that good night.
Rage, rage against the dying of the light.

2 comentários :

  1. Do not go into the night. Percebo que o dia tenha pouca luz, que atrás do horizonte pareça não haver nada, percebo que até a leitura pareça exercício pouco sedutor.

    Também sei que o euromilhões é o diabo para sair.

    E a escuridão é bela para ser observada e vivida mas não para estar dentro do peito.

    Não sei dizer onde procurar os sonhos que não se concretizam nem sei como dizer onde procurar a alegria quando o cinzento tudo cobre.

    Mas sei que um dia tudo muda e há que estar acordado e disponível para não correr o risco de a sorte passar ao lado.

    Um abraço, André.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, não me fales no EuroMilhões que me dá uma coisinha má. Um dia explico - ou não. Espero que um dia tudo mude :-) mas isto tem mudado continuamente para pior, que já nem sei se hei-de acreditar nesse vão esperar. O diabo é que não sabe um tipo para onde se virar neste lugar miserável (bem sei que há bem pior, mas este é o nosso) que temos como país... Abraço, UJM. E obrigado pelo comentário :-)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...