quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Henrique Granadeiro demite-se da PT - Another One Bites The Dust...

Alexandre Soares dos Santos, António Mexia, Ricardo Salgado, Henrique Granadeiro, Zeinal Bava Luís Filipe Vieira
Alexandre Soares dos Santos, António Mexia, Ricardo Salgado,
Henrique Granadeiro, Zeinal Bava,
Luís Filipe Vieira
...Apenas metaforicamente, que esta gente nem a dignidade do suicídio tem. Não sei quantas mais cabeças vão tombar - sei apenas que o caso BES é apenas um abalo premonitório de um terramoto que pode ou não vir a acontecer. É um baralho de cartas - quantas tombarão? Um dia talvez se compreenda porque é que os portugueses têm umas das mais caras facturas de electricidade e das comunicações da Europa; talvez um dia se compreenda porque é que os preços dos produtos alimentares nas prateleiras dos supermercados são tão ou mais caros que nos países mais ricos da Europa. Esta fotografia, por exemplo, talvez ilumine muitas cabeças por aí...

3 comentários :

  1. Uma boa parte da justificação é termos dos impostos mais altos da europa. Sem impostos e taxas (até do audiovisual vem na fatura da luz) são abaixo da média europeia...
    Os portugueses querem estado protetor então paguem impostos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diogorake, a justificação não é boa, nem má, é péssima. Comunicações, para impostos e taxas e taxinhas, etc, que os impostos atrás de impostos contaminaram toda a Europa) temos das mais caras antes de impostos - e além de mais com serviços na maior parte das vezes a funcionar muito abaixo do contratado (internet). Electricidade nem se fala (então quando feita a ponderação com o nível de rendimentos, é o descalabro); os Portugueses têm actualmente impostos ao nível dos países nórdicos (tradicionalmente os países onde os impostos são mais altos); só não têm a correspondente saúde, educação, etc... não sei onde é que está então o estado protetor...? Protetor de quem? Das empresas (privadas) que vivem na mama do Estado?

      A justificação dos supostos (apenas supostos) neo-liberais (nem são novos, nem liberais, nem nunca houve liberalismo em Portugal, quanto muito umas ténues amostras) com os impostos falha apenas numa coisa: não é verdadeira; aliás, não só não é verdadeira, é falsa.

      A justificação é simplesmente a rede clientelar e monopolista que traz o Estado refém, com trela curta, há seculos (leia-se Almada Negreiros, Eça de Queiroz, ou Ramalho Urtigão, por exemplo, e é incrível como parece que estão a falar de hoje)...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...