terça-feira, 6 de maio de 2014

Onde está a Flor?

José Rentes de Carvalho
José Rentes de Carvalho - fotografia de Pedro Tomé.

Onde está a Flor? (Crítica de Isabel Lucas ao ensaio de J. Rentes de Carvalho, Portugal, a Flor e a Foice) E a foice?, para limpar isto tudo, bem limpinho...
Escreve que o país não pode ser propriedade de uns nem um negócio entre compinchas. Na altura referia-se ao PS, ao PPD, militares, comunistas… Mantém a frase 40 anos depois?

Mantenho. Este país continua a pertencer a um número reduzido de pessoas com enorme poder sobre o resto. Não é para isso que se faz uma revolução. É para consertar o que está errado. Não se consertou nada. Até melhorou a situação dos senhores do passado, que estão mais ricos e têm mais poder. É estranho e ilógico que isso seja consequência de uma revolução. 

José Rentes de Carvalho na entrevista concedida ao semanário Sol, "Preferia que os que me trataram por traidor tivessem razão."

2 comentários :

  1. Vou encomendar no "Círculo de Leitores".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente só posso, pela enésima vez, recomendar-te toda a obra do Rentes de Carvalho... :-)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...