quinta-feira, 27 de março de 2014

Nós, de Evgueni Zamiatine*

Nós, Evgueni Zamiatine, Yevgeny Zamyatin, Antígona
Nós, de Yevgeny Ivanovich Zamyatin
Nós constitui uma das primeiras distopias** do Século XX, precursora de obras como Admirável Mundo Novo (1930), de Aldous Huxley, Mil Novecentos e Oitenta e Quatro (1948), de George Orwell, e Fahrenheit 451 (1953), de Ray Bradbury. Têm em comum descreverem por antecipação a engenharia social que, apoiada no controlo do pensamento e na repressão da dissidência, garante a unanimidade totalitária. 

Manuel Portela***, na badana de Nós, de Yevgeny Zamyatin

*Prefiro a grafia Yevgeny Zamyatin, porém a Antígona usa esta grafia: Evgueni Zamiatine.

**distopia - para muitos autores esta palavra é incorrecta; deveria-se fazer uso da palavra utopia. Enquanto esta última remete para o sonho, a primeira remete para o pesadelo. Demasiado mau para ser praticável?

***Manuel Portela é o tradutor da edição portuguesa (também na Antígona) de A Vida e Opiniões de Tristram Shandy, de Laurence Sterne - entre outras traduções.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...