sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Vídeo-Poemas - de «Servidões» de Herberto Helder - ditos por Fernando Alves


"Um quarto dos poemas é imitação literária,
outro quarto é ainda imitação mas já irónica e colérica,
outro quarto é das labaredas da inquisição à volta,
outro quarto, o quarto, o que falta, é por causa da
magnificência do mundo
o quinto quarto absurdo é o das quatro patas cortadas,
e o último é ele que olha da montanha onde abriu na
pedra o seu nome inabalável,
e voltava ao primeiro como se fosse orvalho,
como se fosse tão frio que cortasse até ao osso,
o imo do próprio nome assim metido na pedra,
tanto que ninguém sabia de quem era,
porque ficou todo dentro e não se via de fora:
nem o suor nem o sangue nem o sopro"





"as manhãs começam logo com a morte das mães,
ainda oito dias antes lavavam os cabelos em alfazema cozida,
ainda oito anos depois os cabelos irrepetíveis,
todas as luzes da terra abertas em cima delas,
e então a gente enche a banheira com água fria até ao pescoço,
e tudo brilha na mesma,
brilha cegamente"

4 comentários :

  1. A poesia, quando se diz
    é como um fado
    que me deixa calado
    depois do silêncio das metáforas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A poesia faz com que acredite na redenção do Homem... mas depois escuto a prosa dos políticos, e vejo os seus dramas... e fico de pé atrás...

      Eliminar
  2. Excelentes os poemas, mas também muito boa a voz de Fernando Alves.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...