quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Alexandre O'Neill

Alexandre O'Neill
Alexandre O'Neill, 19/12/1924 - 21/08/1986

Os desacatos em massa nunca mais começam, para eu ir assaltar livrarias e armazéns de editoras (a Relógio D'Água, a Quetzal, e a Assírio & Alvim que se ponham a pau), mesmo com este governo ilegal (os tipos, claro, juraram Eu abaixo- assinado declaro por minha honra que cumprirei com lealdade as funções que me são confiadas. - mas que honra? - o outro, o que lhes permite continuarem ilegalmente no cargo também Juro por minha honra desempenhar fielmente as funções em que fico investido e defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa. - mas também a não tem). Portanto, estão todos à vontade...


Portugal

Ó Portugal, se fosses só três sílabas,
linda vista para o mar,
Minho verde, Algarve de cal,
jerico rapando o espinhaço da terra,
surdo e miudinho,
moinho a braços com um vento
testarudo, mas embolado e, afinal, amigo,
se fosses só o sal, o sol, o sul,
o ladino pardal,
o manso boi coloquial,
a rechinante sardinha,
a desancada varina,
o plumitivo ladrilhado de lindos adjectivos,
a muda queixa amendoada
duns olhos pestanítidos,
se fosses só a cegarrega do estio, dos estilos,
o ferrugento cão asmático das praias,
o grilo engaiolado, a grila no lábio,
o calendário na parede, o emblema na lapela,
ó Portugal, se fosses só três sílabas
de plástico, que era mais barato!

*

Doceiras de Amarante, barristas de Barcelos,
rendeiras de Viana, toureiros da Golegã,
não há "papo-de-anjo" que seja o meu derriço,
galo que cante a cores na minha prateleira,
alvura arrendada para o meu devaneio,
bandarilha que possa enfeitar-me o cachaço.

Portugal: questão que eu tenho comigo mesmo,
golpe até ao osso, fome sem entretém,
perdigueiro marrado e sem narizes, sem perdizes,
rocim engraxado,
feira cabisbaixa,
meu remorso,
meu remorso de todos nós...



Alexandre O'Neill era descendente de Irlandeses... Mas o que é que a Irlanda têm, que para além de nos dar Jonathan Swift, Laurence Sterne, Oscar Wilde, James Joyce, Samuel Beckett, George Bernard Shaw, Bram Stoker, Colm Tóibín, William Butler Yeats. Seamus Heaney, &c ainda nos deixa Alexandre O'Neill? Quero esse gene celta...

1 comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...