quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Vencidos da Vida, de Leonard Cohen

Vencidos da Vida, Leonard Cohen, Beautiful Losers

Vencidos da Vida (ou Beautiful Losers, no original) é o segundo romance de Leonard Cohen, escrito em 1966, antes de ter iniciado a sua carreia de compositor e cantor, em 1967, com o álbum Songs of Leonard Cohen. Está ali abandonado na mesinha-de-cabeceira, à espera do seu dia. Pergunto-me porque o comprei se não tinha nem tenho a mínima intenção de o ler, por agora. Pelo título, talvez. Talvez porque tivesse receio que esgotasse - como se em Portugal os livros esgotassem. Por ser de Leonard Cohen, um dos meus músicos preferidos; talvez porque ainda não me libertei da angústia de não ter mais algumas libras para comprar, em Londres, a antologia de poemas de Leonard Cohen. Ou simplesmente por impulso, porque compraria todos os livros do mundo. Ou porque o título vai directo ao âmago, ao meu. "O que tem nas mãos é mais um delírio do que um livro", disse Leonard Cohen sobre este romance, um triângulo amoroso, diz a sinopse, «uma fulgurante combinação de História, sexo, política, religião e poesia.» Há beleza na derrota? E na vitória?



(Por causa dessa porcaria dos e-books à distância de um clique, tenho todos os livros de Agatha Christie e do Luís Fernando Veríssimo em .pdf numa pasta do meu computador. É impressão minha, ou se esta merda de moda pega nunca mais nenhum autor vai receber direitos de autor? - No meu caso é apenas por gula; de Agatha Christie tenho 3/4 da obra em papel, e de Luís Fernando Veríssimo não tenciono ler nada num ecrã. Just in case...)

9 comentários :

  1. Só somos vencidos definitivamente pela morte, André. Abraço grande.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão é se esta porcaria que se vive na Europa ainda é «vida»... Abraço forte.

      Eliminar
  2. Beleza mesmo é estares de regresso aos postamentos.

    Soliplass

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem grande vontade, sem grande vontade. E apenas para dizer disparates. Isto é um exercício de contenção - ou esgotava-se-me o vernáculo... Abraço enorme.

      Eliminar
  3. Por cá livros esgotam, sim - apercebi-me disso sobretudo quando depois de ter gostado de um livro comecei a procurar os anteriormente editados do mesmo autor(e para variar, enganei-me no local onde comentar...).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esgotam?! Exceptuando casos raríssimos, os livros em Portugal "esgotam" porque são recolhidos para os armazéns das editoras e posteriormente destruídos - ou as edições são tão pequenas que não dão para "abastecer" todas as livrarias... Se procurares nalguma de província provavelmente por lá encontrarás - muito tempo depois de dado como "esgotado"... Bjs.

      Eliminar
  4. Será? Então tenho é de começar a procurar em livrarias de província :)

    ResponderEliminar
  5. Mas é que esgotam mesmo. Faço uma ginástica louca para encontrar livros esgotados, mas lá no meio dos "OLX's" e companhia, por vezes encontro coisas inesoeradas e...baratas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João, como disse à redonda, na maioria dos casos não esgotam. Simplesmente esgotam o «prazo de validade» e são devolvidos, armazenados, e mais tarde destruídos (ou reciclados, se preferires)... Abraço

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...