quinta-feira, 16 de maio de 2013

A maldição de Béla Guttmann

Béla Guttmann, Maldição


Não se sabe ao certo quais as palavras exactas de Béla Guttmann quando lançou a famosa maldição. As mais referidas são estas: "Nem daqui a 100 anos uma equipa portuguesa será bicampeã europeia e o Benfica jamais ganhará uma Taça dos Campeões sem mim." Numa entrevista posterior, ao jornal A Bola, à pergunta «- Quais os termos exactos da sua famosa maldição, que continua a dar muito que falar...?» respondeu: «- Nem daqui a cem anos um clube português volta a ganhar duas vezes seguidas a Taça dos Campeões.» Uma coisa é certa, seja qual for a maldição exacta, ela mantém-se. O Benfica nunca mais ganhou uma Taça dos Campeões (5 finais perdidas), nem nenhum clube português foi bicampeão (o F. C. Porto ganhou duas vezes, mas não foi bicampeão).


Diz-se que Béla Guttmann saiu do Benfica porque não lhe aumentaram o contrato para os valores que ele pedia. Béla Guttmann era extremamente supersticioso, e não queria ficar mais que três anos no mesmo clube - o Benfica foi o clube onde treinou mais tempo, dos vários clubes por onde passou, sendo campeão ao comando de Újpest FC (Hungria), Milan AC (Itália, não concluiu a época, mas foi despedido quando o Milan liderava. Nos contratos posteriores exigia uma cláusula segundo a qual não podia ser despedido se a equipa liderasse o campeonato), São Paulo (Brasil), FC Porto, e SL Benfica - por isso terá pedido um aumento que sabia perfeitamente que não podia ser atendido. Foi tomar ar para outras paragens, e regressou ao Benfica na época 1965/66. Não conseguiu ser campeão europeu (foi eliminado nos quartos-de-final, com uma das maiores derrotas do Benfica nas competições europeias 5-1 contra o Manchester United, 8-3 no conjunto das duas mãos), nem ganhar nenhum título nessa época. Acabou a carreira no F.C. Porto, na época 1973/74, clube onde tinha sido o último treinador campeão, tentando acabar com o jejum que ia em 14 épocas naquela altura. Não conseguiu. Seria um dos jogadores da equipa com que foi campeão pelo F. C. Porto, em 1958/59, José Maria Pedroto, na época 1977/78, a acabar com o jejum de 18 épocas.

5 comentários :

  1. Talvez ainda possam ir buscá-lo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente não faz sentido que ele esteja enterrado em Viena. Deviam transladá-lo para Lisboa :-)

      Eliminar
  2. Não sabia que ele tinha treinado os atrasados mentais do Norte...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São dois tipos cujas histórias, personalidades, e mistérios muito gosto de investigar, o Béla Guttmann e o José Maria Pedroto, para mim os melhores treinadores de sempre - para mim apenas o José Mourinho lhes chega aos calcanhares - o José Maria Pedroto tinha esses defeitos de ser mafioso (também o Béla Guttmann não era flor que se cheirasse), de Lamego, e fanático pelo clube da província - nada me convence que não foi o José Maria Pedroto que ensinou ao Jorge Nuno Corrupto da Costa tudo o que sabe...

      Eliminar
    2. (João Roque - Não sabia que ele tinha treinado os atrasados mentais do Norte...)

      Foi assim que a senhora sua mãe o educou?

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...