quarta-feira, 17 de abril de 2013

«There is no such thing as Society»

Dalton Trevisan, Ruy Castro, Frufru Rataplã Dolores, O Leitor Apaixonado


«There is no such thing as society.» afirmou Margaret Tatcher. «They are casting their problems on society. And, you know, there is no such thing as society. There are individual men and women, and there are families.» - Esperemos que as despesas do funeral não sejam assumidas pela sociedade. A Dama de Ferro, ou Velha Bruxa, como é carinhosamente tratada, não gostaria certamente - mas todos conhecemos as diferentes generosidades do Estado Social consoante se trate dum desgraçado ou dum afortunado - os desafortunados têm que mendigar cada cêntimo de ajuda - ou ficar à espera que alguém olhe para o lado e tome a iniciativa de os ajudar - os desafortunados cumprem assim a missão para que nasceram: a prática da caridade por parte daqueles que tiveram o berço, a fortuna, as condições, ou a sorte para prosperar - aqueles que nasceram na hora e nos locais certos. Os afortunados, a esses dão-se títulos, fazem-se barões, e não têm que pagar as refeições e os transportes com o salário - são despeças de representação - alguém tem que representar os desafortunados - que não se sabem representar a si mesmos.

«There is no such thing as society. There is a living tapestry of men and women and people and the beauty of that tapestry and the quality of our lives depend upon how much each of us is prepared to take responsibility for ourselves and each of us is prepared and turn round and help by our own efforts those who are unfortunate.» Para quem pensa assim, sociedade existe quando se privatizam os prejuízos - socializar os lucros é comunismo, uma barbárie. Que pena que o funeral não tenha sido privatizado, sugestão que li algures, não sei se de algum comediante. Talvez até tivesse dado lucro...

Há indivíduos, homens e mulheres, e famílias - verdade (família nem sempre há), mas há principalmente pessoas que se relacionam entre si - o Homem é um ser gregário, viver em sociedade é uma necessidade, não uma imposição ou uma obrigação - juntos venceremos, divididos cairemos - para citar a música dos Pink Floyd. A sociedade existe - existe porque é uma necessidade básica de qualquer ser humano - existe porque todos nos relacionamos - e precisamos de relacionar - uns com os outros. A sociedade existe onde existe solidariedade e amizade. Percebo que não exista sociedade para Margaret Tatcher. Onde impera a caridade e a exploração, não pode haver sociedade - ou esta acabará por se destruir a si mesma. Onde há duas categorias (ou mais) de pessoas - onde os afortunados exploram - parasitam - sem a obrigação de retribuir - e os desafortunados são explorados - escravizados - e têm que agradecer a caridade, quando a há - não pode haver sociedade.

Tudo isto para dizer que há um mundo em que existe sociedade - e a coisa mais bela que existe na sociedade se chama amizade.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...