terça-feira, 2 de abril de 2013

O Empreendedorismo da Treta - por 100€ apenas, oh freguês!

Miguel Gonçalves, Empreendedorismo

"Eu paguei as minhas propinas a trabalhar. Estudar em Portugal não é como em Stanford, que custa 45 mil euros por ano. A um jovem estudar custa 1.200 ou 1.300 euros por ano, são 100 euros por mês. Amigo, se tu com 20 anos não consegues fazer 100 euros por mês para pagar o que estudas vais ter muitos problemas na vida, muito maiores do que esse", disse. (fonte)

Enfim. Nem sei que comentar. Miguel Gonçalves sempre me pareceu uma fraude - queria acreditar que era apenas preconceito meu. Miguel Gonçalves - como a maioria das pessoas a quem a vida correu bem - por mérito próprio ou por circunstâncias espaciais, temporais, ou sociais, ou por ambos - sofre da doença de ego insuflado, de excesso de locus de controlo interno, e tão auto-centrado que vive, que só consegue ver o mundo a partir do seu umbigo - quer dizer, não consegue ver nada além do próprio umbigo. Não conheço a história pessoal de Miguel Gonçalves, em que meio cresceu, em que meio viveu, etc. 

Porém, quem afirma «A um jovem estudar custa 1.200 ou 1.300 euros por ano, são 100 euros por mês.» deve ter os mesmos estudos que o Miguel Relvas (ok, estou a ironizar, mas...). Não sei se a quem viva em casa dos pais, e tenha a faculdade ao lado, lhe sobrará algum destes 1200 (ou 1300) euros para pagar as propinas. Talvez o Empreendedor, em vez de mandar larachas, queira explicar-nos, a nós que somos muito burros (e brutos), que não temos os seus dotes de empreendedor (ou vendedor de banha), com a ajuda de uma folha de Excel, se faz favor.

O Analfabeto Político. Soa todo o discurso a falso quando vamos percebendo que os seus discursos motivacionais não passam de um enorme ramalhete de clichés retirados de um qualquer livro de auto-ajuda, que não apresenta na realidade qualquer solução, que não pensa minimamente fora da box. É constrangedor ouvir um indivíduo que se proclama «empreendedor» e «criativo» responder com desarmante à-vontade, como se fosse a coisa mais natural do mundo, «eu não sei», «sou ignorante nisso», como se as circunstâncias sociais, económicas, políticas, etc, em que vivemos, não importassem para nada. Ora isso é totalmente falso. Que propostas inovadoras, que novas ideias, que soluções fora da box é que Miguel Gonçalves apresenta, para que um indivíduo qualquer que o ouve possa lutar contra as presentes circunstâncias - que são tão adversas -, para triunfar? Nada! Nada além daquilo que já toda a gente sabe: que temos que acreditar, que temos que lutar, que temos que insistir, que temos que arriscar... Apenas lugares-comuns. Nada de novo. Como é que Miguel Gonçalves, que não sabe, e é ignorante das circunstâncias, se pode arrogar como um indivíduo que apresenta soluções para sair de uma situação que ele próprio desconhece, e parece não estar sequer interessado em conhecer?!

10 comentários :

  1. Verdade. Já comentei na página dele do Facebook. Gajos destes deviam ser presos por burla! Que vergonha! Mas ele é como quem o apresentou... o Relvas. Nunca frequentaram o superior, lá sabem eles quanto custa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste país só os burlões (empreendedores da palavra, barata, baratinha) é que se safam. À custa dos tolos (e dos desesperados) que vão nas suas cantigas - e perante a indiferença da maioria dos outros. Há que denunciá-lo. Refutar os seus discursos bonitinhos, cheios de floreados e lugar-comuns. Colocar os seus discursos tipo livro de auto-ajuda no caixote do lixo das ideias inúteis.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Fui reler - e talvez se refira somente a propinas no valor, não é claro. Realmente começa por dizer que pagou as propinas a trabalhar. Não deixa, no entanto, de ser idiota. As propinas não são o único custo. Mesmo vivendo ao lado da faculdade, em casa dos pais.

      Eliminar
    2. Então está a ser desonesto quando apresenta esse valor como a única despesa de quem quer estudar, ou não?

      Eliminar
  3. Não podia deixar de lhe deixar o link do blog de David Soares, escritor português, que tem por lá um post mt interessante sobre o empreendedorismo e sobre este rapazote que gesticula muito. http://cadernosdedaath.blogspot.pt/

    E a seguir vai-me explicar como consesguiu por os comentários do facebook aí por debaixo do seu post.

    Bem Haja!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Olinda, obrigado pela sugestão. Assim que tiver tempo envio-te e-mail a explicar os passos para colocar os comentários do facebook. Não é difícil, mas tenho que consultar os meus apontamentos, que não tenho aqui comigo. Se entretanto me esquecer, recorda-me. Na internet também consegues encontrar os passos (envolve criar uma aplicação no facebook, e colocar umas linhas de código no template do blog.

      Eliminar
  4. O que eu acho que realmente chateia mais as pessoas é o facto do Miguel Gonçalves dizer realmente o que pensa, que no fundo todos sabemos que é verdade mas ninguém tem coragem de admitir.

    Então pega-se numa frase um pouco menos feliz, mas que não deixa de ser verdadeira e arma-se um pé de vento contra alguém que está motivado a ajudar as pessoas a vencer a adversidade.

    Não se trata de política, não se trata de propinas, não se trata de quem tem mais ou menos estudos.

    Se queremos vencer e ser felizes, temos de nos agarrar e focar nas coisas boas que a vida nos oferece, porque só depende de nós agarrarmos essa oportunidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo Silva, a questão não é se o que o Miguel Gonçalves diz é verdade ou não. A questão é que o que diz não passa de um enorme conjunto de lugares-comuns. Como dizes, todos sabemos que é verdade (nem tudo, nem tudo), aí está um ponto muito importante: afinal, o que é que este auto-intitulado «criativo» e «empreendedor» tem de novo a dizer? Nada. Este é o ponto importante, o que diz, depois de espremido não tem nada (ou quase nada).

      Não é apenas uma frase menos feliz - é todo um discurso. Todo o raciocínio é duma leviandade chocante.

      Uma coisa é querer vencer e ser feliz (quem não quer?). E se os seus discursos e palestras fazem com que alguém seja feliz e vença, se fazem com que alguém encontre a motivação que doutro modo não tem (ou perdeu), ainda bem. Outra coisa é o discurso alienante, do sim porque sim, do não há problema em aceitar passivamente aquilo que nos impõem, de aceitar tudo e mais alguma coisa, de correr atrás de recompensas duvidosas, do todos podemos vencer se nos sujeitarmos, se não questionarmos.

      Permito-me recomendar este post: http://sentidosdistintos.wordpress.com/2013/04/02/do-empreendedorismo/

      Abraço, e que a vida te ofereça e te permita que te foques nas coisas boas que procuras - mas não esperes que tas ofereça.

      Eliminar
    2. Se bem sei, a ajuda que este rapaz está motivado a dar faz-se pagar (e bem). O seu discurso não é de salvador, é de vendedor. E como tal, acho que devemos ser críticos em relação ao que compramos. Não?

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...