quinta-feira, 25 de abril de 2013

Crónicas de Zwahlen*

Lago, Cisnes, Neuchâtel
Lago de Neuchâtel - Suíça, 25 de Abril de 2013


25 DE ABRIL

Esta é a madrugada que eu esperava
O dia inicial inteiro e limpo
Onde emergimos da noite e do silêncio
E livres habitamos a substância do tempo

Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen.

25 de Abril de 2013. À tarde, junto ao lago. Este não foi «o dia inicial inteiro e limpo» que sonhámos.

*Pensei para esta série de crónicas que agora começo no título «não estás perdido quando não sabes onde estás - estás perdido quando não sabes para onde ir»**, mas era um título muito cumprido (é mesmo com «u», não é engano, apesar de também ser «comprido»), pelo que optei pelo título «Crónicas de Zwahlen». Há muito que pensei nestas crónicas - chamar crónicas a uma série de posts talvez seja um exagero, e um exagero nada original, mas se há crónicas de Nárnia - porque não há-de haver de Zwahlen? E que melhor dia para começar que um dia «inicial inteiro e limpo»?

**A este propósito nunca é demais recordar a conversa entre Alice e o Gato de Cheshire.

1 comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...