segunda-feira, 29 de abril de 2013

Crónicas de Zwahlen #5

Felicidade, Boris Vian, Rubem Fonseca, Michel Houellebecq, James Boswell, Luigi Pirandello, Dalton Trevisan, Pam Jenof, Moehringer


"Tenho todas as condições para ser feliz, salvo a felicidade. As condições estão desligadas umas das outras"

Barão de Teive, in A Educação do Estóico.


Disseram-me em tempos que começamos a aprender uma língua quando começamos a sonhar nessa língua; não sei se é verdade, que eu sonho muito em francês mas falar é uma atrapalhação, e por vezes leio uma página e só à quarta ou quinta tentativa é que consigo decifrar o que está lá escrito. Provavelmente ler Boris Vian em francês não é a melhor opção para testar os meus parcos recursos linguísticos - como também o não é a leitura do jornal. 
Um destes dias acordei aflito a meio da noite; estava a sonhar numa língua desconhecida - numa língua que tanto podia ser chinês como nem sequer existir. Sobre a minha mesa de cabeceira uma torre de livros que podia ser uma torre de Babel: receio acordar um dia e já não saber qual é a minha língua.

4 comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...