segunda-feira, 15 de abril de 2013

Catástrofe.

Catástrofe, Crise, Devastação, Fim do Mundo


Foram os que arriscaram e fugiram, mourejaram dos Pirenéus a Paris, sentiram-se salvos e senhores quando na volta juntaram ao Toyota aquele tractor de rodas gigantes e assento alto, trono de haver e poderio. Os filhos compraram o Mercedes, o apartamento, gozaram no México, não esquecerei tão cedo o brilho de orgulho nos olhos da conterrânea, que dizia, falando dos netos: "Tenho oito doutores em casa! Oito!"
E quase de súbito, com o inesperado e a devastação dos furacões em mar longínquo, o que parecia bucólico, assente, sossegado, ruiu. Os filhos e os netos chegaram com o ar de refugiados de uma catástrofe ou guerra. Em volta da lareira, que foi sítio de harmonia, ouvem-se os gritos do medo que todos sentem, das culpas que ninguém tem. Onde houve união é agora cada um por si. Andam esgazeados pelas repartições, agitando papéis que mal compreendem para o que são, pagamentos que têm de fazer a um ogre que lhes exige a bolsa e não garante a vida.

J. Rentes de Carvalho, excerto do post O Cabo Horn, no blog Tempo Contado.

1 comentário :

  1. Obrigado por me teres dado a conhecer um blog tão interessante...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...