quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O meu Amigo matou-se: texto de Isabel do Carmo



Tinha empregados a quem tinha que pagar salários todos os meses. Tinha empréstimos ao banco, crédito a cumprir, letras. Tinha clientes que não pagavam, porque por sua vez não lhes pagavam a eles.
Os filhos trabalhavam, mas havia um apoio indispensável, por causa da precariedade e por causa de situações de doença.
O senhorio acabava de, em concordância com a nova lei das rendas, passar-lhe a renda para o dobro.
Tinha solução para esta espiral que todos os dias se agravava? Não tinha.
Declarava insolvência, renunciava a todos os pequenos bens, ia para a rua, abandonava pais e filhos ao destino? Claro, tudo é possível.
Mas a dignidade tem um preço.
Os amigos podiam ajudar? Muito pouco.

Texto de Isabel do Carmo. Texto Completo AQUI.

{Em Portugal, em 2009, houve um suicídio a cada 4 horas; em 180 dias houve mais mortes por suicídio que mortes por acidentes de viação no ano todo. Os dados, afirmam os especialistas, devem pecar por defeito, porque só são considerados aqueles que são dados como suicídio nas certidões de óbito. E os dados de 2010? E os dados de 2011? E os dados de 2012? - fonte.}
Talvez os indivíduos que nos governam se fiem demasiado nesta lição e tenham entendido que, num país com um desemprego galopante como o nosso, as pessoas estão tão ocupadas em imaginar um modo de sobreviver que não terão tempo para se opor ao constante acosso de que vão sendo vítimas. Mais preocupados em assegurar, ao menos, o jantar do dia seguinte, queremos lá saber se, em 2015, ainda haverá alguma coisa a que possamos chamar nossa e que não tenha já sido entregue à grande roda dos amigalhaços instalados, a troco de férias no Copacabana Palace e lugares em conselhos de administração.

Texto de Manuel Jorge Marmelo. Texto Completo AQUI.

5. Saúde pública
Ela entrou na nossa sala, como se fosse uma pequena ventania que se libertasse e disse: «eu e o Óscar, foi já demasiado tarde que nos apercebemos que ela não aviava na farmácia as receitas por inteiro. Agora sei que deitá-los de lá abaixo já não é só um objectivo político, tornou-se uma necessidade urgente de saúde pública».

Texto de Manuel Gusmão. Texto Completo AQUI.

2 comentários :

  1. isto está a ficar "bonito"... :((
    Mas dia 2 terão de nos escutar.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto já está «bonito» há muitos anos. Infelizmente a maioria das pessoas só acorda quando a sirene toca para elas - Esperemos que não seja tarde demais, mas provavelmente é...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...