terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Miguel Relvas foge aos protestos no ISCTE (Completo)



Como é possível que uns incompetentes destes se mantenham em funções? Qual é a função de um Governo, afinal? Um país/ povo que está não à beira, mas na mais completa miséria. Com o número real de desemprego a rondar os 25%, com a pobreza a atingir, pelo menos, 3 milhões de Portugueses (um terço da população), com a desigualdade a aumentar de forma galopante (os ricos mais ricos, os pobre mais pobres), com milhões de Portugueses sem acesso aos cuidados mais básicos - sem acesso a alimentação!
Enfim, com previsões, estatísticas, projectos, anúncios - dia após dia falhados. Um governo sem visão, sem soluções, sem nada - nada para além de manter-se a todo o custo ao leme de um navio que está a afundar: não para o tentar salvar, mas para garantir o saque. Como é que é possível?!


Dir-me-ão que ninguém apresenta alternativas concretas. Vejam a coisa assim: pelo facto de o passageiro estar bêbedo, não significa que o condutor o possa estar. Este governo não serve. Ponto. Não haver alternativa não lhe dá competência para governar. Para governar, este governo é incompetente. Seja qual for o prisma por onde se veja a questão. Podem meter óculos capitalistas, socialistas, marxistas, neo-liberais, podem meter óculos de sol, podem meter os óculos que quiserem. Este governo não serve para governar nem com nem sem óculos. Este governo é incompetente para desempenhar as funções de governação. Esta é a questão principal - a essência. Qualquer outra questão é irrelevante - fogos-fátuos - qualquer outra discussão, se cortar daqui, se cortar dali, se investir nisto, se investir naquilo, se negociar, renegociar, continuar, parar, privatizar, nacionalizar - tudo isso é irrelevante enquanto estiver este condutor bêbedo ao volante. Seja qual for o caminho que tome - o acidente é certo - é uma questão de tempo - ou rezar por um milagre.

P.S. Um pouco de poesia. Quanto a caminhos alternativos - quanto à questão de não haver outro caminho, e béubéubéu... Um poema de José Régio, sempre actual: Cântico Negro.

4 comentários :

  1. Só um idiota como Passos Coelho, ainda não percebeu que é um erro crasso manter este tipo no elenco governamental.
    Este homem, Relvas, as pessoas há muito lhe haviam perdido o respeito, mas agora perderam-lhe também o medo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é nada um erro. É a imagem perfeita do governo - a síntese.

      Eliminar
  2. Palavras para que??
    Podia aproveitar e ir de vez embora...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele está agarrado com unhas e dentes ao poleiro. Enquanto houver ovos para roubar não sai do galinheiro...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...