sábado, 19 de janeiro de 2013

Falhar


Que vês quando te olhas ao espelho? Um sujeito triste, magro, olhos cavados num rosto pálido a caminho de um abismo qualquer. A vida não é justa nem injusta, é apenas. Não existe sorte nem azar. Há encontros afortunados e desafortunados. Ninguém te espera, nem esperas ninguém. Chegas a casa e fechas a porta. O vazio que sentes é o mesmo que sentes quando atravessas apressado a multidão que se apinha na estação. O vazio é o mesmo que sentes quando te cruzas com rostos familiares na subida íngreme. O vazio é o mesmo que sentes quando pensas na carta que não chega, no telefonema que não recebes, no sorriso que esperas em vão. Podias pegar numa caneta, ou escrever um e-mail, tens o telemóvel à mão, podias fazer uma visita surpresa. Mas o tempo passou. E agora tu és apenas o sujeito triste, magro, olhos cavados numa face esquálida.

3 comentários :

  1. O melhor é esquecer aquilo que passou e começar a olhar para o presente e o futuro. O que já passou, passou...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O melhor - nunca saberemos o que é o «melhor»... não dá para testar, porque não dá para repetir... O tempo, esse carrasco impiedoso...

      Eliminar
    2. Por isso convém não desperdiçar o pouco tempo que temos...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...