domingo, 16 de dezembro de 2012

Suíça: Swiss-ídios

Suiça, Switzerland, Svizzera, Schweiz, Svizra, Suisse

Deve ser do conhecimento de muitos, mas para mim foi novidade lê-lo no jornal holandês de Volkskrant. E porque perturba a noção bucólica que eu tinha da Suíça - montanhas, neve, lagos plácidos, rios de dinheiro - é melhor tocar já no caso, do que voltar a remoê-lo, como esta noite, na escuridão da insónia.
Juntamente com a Finlândia e as nações da antiga União Soviética, a monótona e bem arrumada Suíça encabeça no mundo inteiro o número de suicídios.
Nela, uma média anual de 1.500 desesperados acaba com a vida, quase o dobro do número das vítimas de acidentes de trânsito e abuso de droga, o qual ronda os 800.
O particular desses suicídios é 40% deles serem cometidos com armas de fogo, e essas armas fazerem parte do incrível arsenal que o Estado oferece aos cidadãos. Sujeito que acaba a recruta leva a arma para casa, não vá o inimigo aparecer de repente, de modo que cerca de dois milhões e meio de pistolas, carabinas, metralhadores, se encontram, por assim dizer, à mão de semear dos sete milhões de almas.
Transtorno nos amores ou na cabeça, chatices da vida, desesperos, desenganos… o suíço só precisa de ir à cozinha e tirar de lá a Parabellum. Não está certo. Não devia ser tão fácil. 

J. Rentes de Carvalho, no blog Tempo Contado.


Andava ali pelo blog do J. Rentes de Carvalho a ler uns posts antigos quando dei com este post. E fiquei a cogitar que os suíços se matam mais por causa da repetitiva rotina em que vivem - movimentos cadenciados em que estão presos como os ponteiros dos relógios que fabricam - que por qualquer outra razão. Quando os dias começam a minguar é vê-los cair que nem tordos - os que não tombam com armas de fogo, tombam contra os comboios; é que nem os finais de tarde têm para descomprimir dessa asfixiante rotina trabalho-casa-trabalho-casa-trabalho-casa-trabalho-casa-trabalho-bar-casa-bar-casa-casa-trabalho que lhes marca os passos, assim mesmo, semana após semana, ano após ano... (Os Domingos na Suiça davam um tratado.)

4 comentários :

  1. Talvez por isso detestava ser suiço: tudo tão certinho, tudo a horas, tudo como deve ser...
    Ora porra, ainda bem que sou latino.

    ResponderEliminar
  2. É por esses e por outros que eu adoro o nosso "Portugal" e a descontração das pessoas.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...