segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Os Amigos*

Solidão, Amizade, Loneliness, Friendship

Amigos, cento e dez, ou talvez mais,
Eu já contei. Vaidades que eu sentia:
Supus que sobre a terra não havia
Mais ditoso mortal entre os mortais!

Amigos, cento e dez! Tão serviçais,
Tão zelosos das leis da cortesia
Que, já farto de os ver, me escapulia
Às suas curvaturas vertebrais.

Um dia adoeci profundamente. Ceguei.
Dos cento e dez houve um somente
Que não desfez os laços quasi rotos.

Que vamos nós (diziam) lá fazer?
Se ele está cego não nos pode ver.
- Que cento e nove impávidos marotos!


Soneto de Camilo Castelo Branco




*Um destes dias recebi um e-mail que trazia esta frase, atribuída a Benjamin Franklin: «Um irmão pode não ser um amigo, mas um amigo será sempre um irmão.» (Não consegui confirmar a autoria em fonte que considere fidedigna). Quando a palavra «amigo» ainda tinha um significado íntimo para mim, havia uma música de que gostava muito, You've Got a Friend, de Carole King. Encontrei-a no Cantigueiro, interpretada por Stacey Kent... Ouvi-la, quanta nostalgia me traz, quantos caminhos que ficaram por percorrer me recorda... E quantas saudades, quantas saudades de percorrer esses trilhos que ficaram para sempre por percorrer (como se pode ter saudade de algo que nunca aconteceu?)... O mesmo e-mail começava com outra frase, dessas frases-lugares-comuns, que nos fazem sorrir por segundos, e por momentos nos enchem a alma: «Amigos e caminhos, se não se frequentam criam espinhos.» São caminhos espinhosos esses que recordo. Convém regressar lá o menos possível.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...