quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O Retrato de Dorian Gray

O Retrato de Dorian Gray, Dorian Gray's Portait

Fui reler este meu poema, após a recepção de um e-mail que um leitor do blog me enviou a propósito do mesmo, quando dei comigo a pensar n' O Retrato de Dorian Gray. Não há por aí nenhum diabo que me queira comprar a alma? Com a crise e a deflação, o preço está baratíssimo... É este o meu retrato: a caminho de ser velho, quase sózinho num país (que adoro, mas...) distante, longe da família, longe dos amigos, longe do meu azevinho e dos meus diospireiros, longe dos meus livros, quase já sem sonhos (vou-me permitindo sonhar, às vezes é tudo o que nos resta - quando nos tirarem os sonhos - que restará para nos tirarem?), longe, muito longe, daquilo que um dia talvez tenha sido o meu caminho, e sem qualquer outro caminho que o substitua, vou caminhando errante. Bem sei que o caminho somos nós que o fazemos ao caminhar, porém... volto a reler:

Por decreto governamental
deixam de rimar os verbos
Querer
e Poder
em Portugal.

Fica o verbo
Poder
na posse do Conselho
de Ministros
sinistros.

Querer...
Quem quiser
ser feliz
deve sair
deste país.

Ficam adiados
os sonhos
por tempo indeterminado.
E suspensa
a Democracia.

São mobilizados
os jovens
os velhos e as crianças
e as mulheres
em defesa da pátria:

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...