segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Alice no País das Maravilhas e o Gato de Cheshire

Alice no País das Maravilhas, Gato de Cheshire

Comprei uma vez mais um exemplar de Alice no País das Maravilhas - para oferecer, embora seja um belo livro que nada fica a dever àqueles que estão guardados nas minhas estantes, lá longe, no lugar a que chamo casa (é algo que me dói muito, nesta minha condição de emigrado: não ter aqui os meus livros). E porque não houve ainda a oportunidade de o entregar à pessoa para quem foi comprado, deu-me para o reler. Um prazer que descobri à pouco tempo, reler livros. Nalguns casos é-me impossível fazê-lo: o facto de à medida que vou relendo me ir relembrando do que está lá escrito, torna enfadonha a leitura. Não foi o caso de Alice no País das Maravilhas. Uma bela história onde encontramos pérolas ao virar de cada página:

O gato sorriu quando viu Alice. Parecia bem-disposto, mas, mesmo assim, tinha umas grandes unhas e muitos dentes, por isso era melhor tratá-lo com respeito.
- Gatinho - chamou Alice, bastante receosa, pois não estava certa que ele gostasse de ser tratado assim. Mas o Gato sorriu ainda mais. «Até agora não se zangou», pensou Alice. E continuou: - Podes dizer-me, por favor, como hei-de sair daqui?
- Isso depende muito do sítio para onde quiseres ir - respondeu o Gato. 
- Não me interessa muito para onde... - disse Alice.
- Nesse caso, podes ir por um lado qualquer - respondeu o Gato.
- Desde que vá ter a qualquer lado... - acrescentou Alice, em jeito de explicação.
- Oh, para que isso aconteça, tens de caminhar muito - disse o Gato.

2 comentários :

  1. Deixo-te mais uma pérola: http://thecatscats.blogspot.pt/2010/02/reler-antes-de-ver-o-novo-filme-de-tim.html.

    Abraço!

    ResponderEliminar
  2. E muito bom ler novos livros, porém e necessário as vezes, (Ao menos penso assim), ter que reler alguns... Em 2008 comprei um exemplar de bolso, o livro contava a história de Drácula. Estudava o último ano do ensino médio, e morava no quartel, ao chegar do colégio todas as noites lia algumas páginas antes de dormir... Lembro-me que gostei, mas o tempo passou e eu o esqueci. Hoje, a mais de 110 dias em solo Haitiano participando da MINUSTAH, me ocupei lendo-o novamente, e foi muito agradável, me retirar da realidade que estou vivendo e embarcar nas linhas deste livro. Ler é viajar sem sair do lugar... Ao ler esta matéria sobre Alice e o Gato, vieram novas e boas memórias, de meus tempos de criança, acredito que existam no Brasil esperando meu retorno alguns exemplares a serem relidos. Inclusive Alice e o Gato de sorriso grande...

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...