sábado, 7 de maio de 2011

Os Rapazes - Poema de Américo Rodrigues



Os rapazes da aldeia onde nasci
tinham o péssimo hábito
de se matar
antes de fazerem 18 anos:
pousavam o pescoço
nos carris
e o comboio da Beira Baixa
cego
trucidava-lhes promessas
e futuros

Os rapazes da aldeia onde nasci
tinham o péssimo hábito
de se matar
antes de irem às inspecções
militares
mostrar os testículos:
no regresso dos bailes
atiravam-se das pontes
cavalgando motorizadas
V5
que um mecânico da terra
vendia às prestações

Os rapazes da aldeia onde nasci
tinham o péssimo hábito
de se matar
antes de quererem fugir
ou migrar:
ou se deitavam para os poços
como gatos condenados
ou escreviam poemas
às escondidas
sobre o animal do cio.

Os rapazes da aldeia onde nasci
tinham o péssimo hábito
de se matar
antes de se matarem
- digamos em coro
paroquial:
naturalmente.



*Poema de Américo Rodrigues, escrito a 3/5/11, e publicado no blog do autor.