quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Teorias da Crítica Literária


Há um ponto em comum entre todas as teorias da literatura: todas estão erradas. Não seriam teorias se o não estivessem. Eu próprio tenho as minhas mas prefiro entreter-me com as dos outros. E ignorá-las a todas.

Para fazer a crítica literária do livro Teorias, de manuel a. domingos, vou testar uma teoria que inventarei depois, que agora estou um pouco cansado. E para experimentar um livro, nada melhor que levá-lo a tomar café. Se servir para recusar um jogo de sueca, é um bom livro. Se conseguir monopolizar a conversa entre os amigos que se sentam à mesa, é um óptimo livro. Se provocar suspiros e espasmos, por esta ordem ou pela ordem contrária, às amigas, é um péssimo livro: poderá não ser nada conveniente afirmá-lo. Mas também não convém entrar muito na conversa, pois correr-se o risco de se ficar para sempre preso dentro da conversa. Neste ponto cada investigador literário deverá adaptar o seu discurso às suas pulsões e intenções. O grande inconveniente para testar um livro de acordo com estas regras, é que é preciso ter amigos. E amigas.

A primeira amante
ensinou-te a diferença
entre ode e epopeia


Depois de se testar um livro, convém lê-lo, embora para a maioria dos críticos literários este seja um passo fastidioso e assaz desnecessário. Teorias, de manuel a. domingos, não tem o nome do autor na capa nem na lombada, nem sequer no frontispício. Só tem o nome do autor na ficha técnica do livro, que aparece na última folha, onde se lê que a tiragem é de 100 exemplares e a edição é de autor. Este livro também não tem cadernos, o que é uma chatice, porque eu não gosto de cola: pega-se aos dedos. Também lhe faltam as badanas: as badanas são essenciais para quando se quer puxar as orelhas a um livro. Só se perdoa a falta de badanas a um livro quando é um livro de capa dura. Se este se portar mal como é que eu faço? É que um livro de capa dura tem bom corpo para levar um bom par de lambadas, mas um livro sem capa dura nem badanas, como é que pode ser educado?

Quanto ao conteúdo, o tamanho da letra podia e devia ser maior. Mas neste ponto concedo que seja um defeito meu, que gosto muito de letras grandes: sou guloso, mas os tempos que correm são de austeridade. Austeridade faz-me lembrar uma outra palavra, mas não vou referi-la aqui, que não vêm ao caso.

Chegaste a ensaiar
uma teoria
sobre os malefícios
da poesia
que te levou
a fumar muitos
cigarros

Versos em itálico de manuel a. domingos, in. Teorias.

Por fim, podem também testar o livro em várias posições numa das vossas estantes, e ver junto de que livros fica melhor. Claro que para isso é preciso ter outros livros. Ah!, e também se perdoa o facto de um livro não ter badanas ou capa dura, se vier com uma longa nota biográfica, com uma rigorosa estatística das amantes (e dos amantes), e se revelem outras depravações sexuais do autor, nomeadamente uma filia qualquer que ninguém saiba o que significa.

2 comentários :

  1. Pinguim, sim eu vi logo, mas ando desinspirado e sem vontade de comentar - só tento responder aos comentários que me deixam, por cortesia. Entretanto, tentarei passar para deixar um comentário. Abraço

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...