sábado, 26 de fevereiro de 2011

a um amor que não ousou - poema de André Benjamim



Sei que o dia se apagou
E não voltarás. O silêncio
inundou-nos a alma!

Escutas ainda a melodia
Que nos embalava? A alma!
Notas o tom? O silêncio

Imenso que nos invadiu.
As palavras silenciadas
A voz seca, o áspero olhar.

O dia era claro, cintilante
Mas o silêncio, escutas
O silêncio que nos feriu?

É o som de uma alma
que se dividiu.

4 comentários :

  1. É uma pena quando o amor não ousa.
    Fica-nos sempre a dúvida.

    Porque temos tanto medo de ousar?
    Deve ser o medo de sofrer.

    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Os silêncios, no amor, raras vezes resultam.

    ResponderEliminar
  3. Olá Isabel, Penso que o amor que não tem coragem para amar, não merece ser amado... Porque o amor é antes de mais coragem. A coragem de se entregar.

    beijos

    ResponderEliminar
  4. Pinguim, O silêncio, no amor, penso que seja daquelas coisas que ou são muitos boas, ou muito más... quanto ao título deste poema, ele é uma ligação intertextual a Oscar Wilde... ;-)

    Abraço

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...